Artigo 344 – O Leão e o gatinho

O que você é quando faz e quando critica?”

Não conheço ninguém 100% satisfeito com a situação do nosso país. Não conheço ninguém 100% satisfeito com a gestão da empresa onde trabalha. Também não conheço ninguém 100% satisfeito com a gestão do seu condomínio, ou do seu bairro ou da sua cidade. Todo mundo tem uma crítica a fazer ao chefe, ao colega de trabalho, ao subordinado, ao prefeito, ao governador e ao presidente. As redes sociais mostram isso todo dia. Aliás, através delas, a voz de todos pode ser ouvida e isso é muito bom para a democracia e, especialmente, para a Educação.

Um ponto apenas tem me incomodado muito – me parece que as pessoas são verdadeiros leões na hora de criticar. Mas, na hora de fazer a sua parte, todo mundo é gatinho. Os exemplos estão por aí, a olhos nus, todos os dias e em todos os lugares. Fiquei chocado, por exemplo, com a foto do gramado do Rock In Rio na manhã do dia seguinte. Procure na internet e veja com seus olhos. Um horror! Não dá para ver a grama de tanto lixo. Aposto dinheiro que a maioria das pessoas que estava ali e fez aquela “obra de arte” critica os corruptos do governo, seus chefes e tudo que não lhe agrada. Mas não para por aí. Ande nas ruas e observe o comportamento das pessoas. Um joga lixo no chão, outro fuma em local proibido, outro joga as cascas da fruta pela janela do carro, outro fura a fila no ponto de ônibus, e por aí vai. Mas, ao chegarem em casa e verem que o cara recebeu propina ou que foi encontrado com uma mala de dinheiro, revoltam-se. “Bando de safados! É por isso que esse país não vai pra frente”!

No mundo do trabalho, não é diferente. Tento desenvolver uma lente apurada, depois de 11 anos estudando o tema, para ver isso com clareza. Muitos profissionais reclamam de seus chefes, mas agem com sua equipe às vezes da maneira pior. É engraçado que até já defini uma pergunta padrão ao ouvir uma crítica sobre um chefe. Simplesmente digo: “Nossa, que pena. Mas, me conta, como você age em relação a isso com seus subordinados”? Às vezes, o silêncio é ensurdecedor.

A verdade, nua e crua, é que criticamos os outros com mais facilidade do que a nós mesmos. Se olhar no espelho (sem filtros) não é fácil e a maioria foge dessa experiência. Tenho conduzido processos de avaliação 360 graus há anos e é incrível analisar os resultados e a reação das pessoas ao descobrirem que cometem erros e projetam no mercado uma imagem que condenam nos outros diariamente. Até acho que este exercício de autoconhecimento é o ponto de partida para grandes mudanças nas pessoas e quem sabe até no país.

Portanto, o desafio hoje é que você passe alguns minutos no espelho, não tirando “selfie”, mas se perguntando: “O que eu critico nos outros e faço igual (ou pior)”? Se conseguir fazer isso, deixará essa manada de pessoas que são a incoerência em forma de gente e que são um Leão para criticar e um gatinho para fazer. Até o próximo!