Artigo 343 – Outra pesquisa mundial sobre competências

Quer mais uma confirmação sobre as competências do futuro?

Acabo de concluir uma série completa (11 artigos) sobre uma das maiores pesquisas a respeito de competências e empregabilidade conduzida pelo Fórum Econômico Mundial. Escrevi um texto sobre cada uma das 10 competências listadas como as mais relevantes na próxima década. Neste período, tive acesso recentemente a outra pesquisa, patrocinada pelo “Google for Education” e publicada na revista “The Economist”. A pesquisa tem como título “Driving ths Skills Agenda – Preparing students for the future” (Conduzindo a agenda de competências – preparando estudantes para o futuro).

Muito em linha com o que já vimos na outra pesquisa, esta não deixa dúvidas e coloca uma pá de cal em qualquer discussão sobre quais serão os profissionais mais disputados no futuro próximo. Na tabela 2 da pesquisa, os respondentes (profissionais de recrutamento e de RH de empresas) escolheram, dentre uma lista, três competências que são e serão mais valorizadas em suas empresas. Vamos à resposta? Segue a lista, com as citações que receberam:

1 – Solução de problemas             50%

2 – Trabalho em equipe                 35%

3 – Comunicação                              32%

4 – Pensamento crítico                   27%

5 – Criatividade                                21%

6 – Liderança                                    18%

7 – Alfabetização                              17%

8 – Alfabetização digital                  16%

9 – Língua estrangeira                     15%

10 – Inteligência emocional            12%

Olhe que interessante! Primeiro, das 5 principais competências, 3 batem com a outra pesquisa (Solução de problemas, pensamento crítico e criatividade), mostrando que o mundo pede profissionais inovadores. Segundo, e não menos importante, das 10 competências 7 não são técnicas (na outra pesquisa uma não era).

Pois bem, aí está mais um recado do mercado de trabalho para nós profissionais e para as escolas, que ainda insistem em focar seus projetos pedagógicos no desenvolvimento de competências técnicas e seguem ignorando as demandas do mercado.

Trabalho em Educação superior há quase 20 anos e vejo pouquíssimas iniciativas corajosas de transformação da trilha de desenvolvimento de competências nas escolas. A maioria está acomodada, parou no tempo, nem sequer conhece estudos como estes que venho compartilhando aqui.

O meu recado de hoje para você é o seguinte: invista no desenvolvimento dessas competências e elabore uma agenda pessoal para se desenvolver nelas. Siga estudando, se atualizando e se desenvolvendo na sua área, mas não faça só isso. O recado é muito claro – o mundo do trabalho pede e irá valorizar muito os profissionais criativos, que tenham pensamento crítico e questionem as coisas como elas são, que consigam participar de equipes colaborativas e que sejam ousados.  Até o próximo!