Artigo 102 – Carreira e Finanças pessoais – parte I

“o dinheiro é um meio, não um fim”
por Marcelo Veras | 18 de mar de 2013

 

"O profissionalismo na gestão do seu dinheiro tem impacto direto na sua carreira”

Hoje inicio mais uma série e acho que será longa. Desta vez, o pano de fundo será o tema Finanças pessoais e suas relações com a gestão da sua carreira. Para muitos, carreira e vida financeira pessoal são coisas distintas e separadas. Para mim, estas duas coisas andam mais juntas do que carne e unha. E mais, acho que ambas devem ser gerenciadas de forma integrada, profissional e planejada. Primeiro, porque a carreira é o meio para financiar sonhos e ambições pessoais. Segundo, porque acredito que ninguém consegue ter paz e, por consequência, boa produtividade no trabalho se as finanças estiverem com problemas. Ou seja, carreira e vida pessoal possuem inúmeros vasos comunicantes. Uma não vai bem sem a outra. Vivemos em um mundo capitalista, onde a geração de riqueza é um dos poucos caminhos para termos um futuro tranquilo.

Outro ponto bem importante desta relação entre carreira e finanças pessoais é o fato de que o tempo de carreira nos impõe algumas regras bem pesadas e às vezes injustas. A primeira delas é que o mercado tende a valorizar cada vez menos os profissionais quando vão ficando mais velhos. Parece um contrassenso, mas acontece com muita frequência. A experiência e os quilômetros rodados, que deveriam ser mais valorizados, muitas vezes não o são. Isso gera uma insegurança crescente ao longo da carreira. Ouço de muitos dos meus colegas com mais de 20 anos de carreira, frases do tipo: - Marcelo, sinto que o valor do meu passe está diminuindo com o passar do tempo. Daqui a pouco vão colocar um jovem no meu lugar, pagando a metade do que eu ganho. Esta é uma realidade bem comum, infelizmente.

A segunda regra que o tempo nos impõe é mais simples de entender. Quem depender da seguridade social brasileira para se bancar na velhice está frito (a). O valor do teto pago aos aposentados no Brasil, que poucos conseguem ter em função do chamado fator previdenciário, não vai bancar sequer um bom plano de saúde. Em outras palavras, cada um deve planejar desde muito cedo o que pretende ter em termos de qualidade de vida após se aposentar. E quem não fizer isso estará em maus lençóis.

O que então pretendo nesta série? Espero conseguir mostrar o caminho para que você possa ter uma vida financeira saudável, convivendo de forma inteligente e harmoniosa com o dinheiro e, por fim, que você consiga montar um plano de construção e crescimento patrimonial. Esta postura, além de dar um sentido maior e mais amplo ao dinheiro que ganhamos com o nosso trabalho, ajuda a termos mais produtividade no trabalho e a nos relacionar com nossos empregadores de forma mais pragmática e menos romântica. Não que eu seja contra o romantismo, mas acho que não combina com planejamento de carreira e finanças pessoais.

Para começar, quero deixar aqui duas premissas que vão nortear tudo o que eu defender em termos de planejamento financeiro pessoal. Quero que você pense nos dois seguintes pontos ao longo desta semana. A primeira premissa é . Entender isso é muito importante na hora de planejar suas finanças. O dinheiro só faz sentido para ser o meio para realizar coisas. Já vivemos sem dinheiro por muito tempo. O mundo já viveu com o escambo (troca) e o patrimônio das pessoas era constituído fundamentalmente por coisas (terras, animais, joias etc). Portanto, quando começarmos a discutir as metas de patrimônio financeiro nesta série, você deverá ter muito claro na sua mente o que quer da sua vida no futuro. O dinheiro que você irá ter como meta, servirá para que? Para financiar que vida?

A segunda premissa, que você deverá ter enraizada na sua mente, diz que “dinheiro é algo difícil da ganhar e fácil da gastar”. Portanto, deve ser gerenciado com muito respeito e responsabilidade. É como se o dinheiro tivesse vontade própria. Se você deixar, ele vai para onde quiser ir e some do seu bolso.

Com estas duas premissas em mente, iniciaremos uma longa conversa sobre os princípios das finanças pessoais, do planejamento financeiro e da sua relação com a gestão da sua carreira. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar