Artigo 104 – Carreira e Finanças pessoais – parte III

“Receitas e Despesas”
por Marcelo Veras | 01 de abr de 2013

"Saber quanto se ganha e como se gasta é o Bê-á-bá qualquer planejamento financeiro”

Neste terceiro artigo da série Finanças pessoais, vamos ainda avançar no primeiro pilar do seu planejamento financeiro – O seu estágio atual. Espero que tenha conseguido mapear e registrar o seu patrimônio atual, conforme orientações do artigo anterior. Se ainda não conseguiu, não pare até descobrir e listar tudo o que você tem de patrimônio e o valor de mercado atual de cada item. Defina também a frequência com que você irá atualizar os valores de mercado de cada item do seu patrimônio. Pela quantidade de e-mails que recebi solicitando a planilha que mencionei no artigo anterior, vejo que essa questão foi levada a sério.

Ainda no chamado estágio atual, precisamos agora mapear com detalhes tudo que ganhamos e tudo o que gastamos. Saber quanto se ganha e quanto (e como) se gasta é outro princípio básico de qualquer planejamento financeiro. E aqui não tem conversa. Este controle deve ser feito diariamente, com consolidação mensal dos resultados e análise profunda e frequente.

Vamos começar pelos ganhos, ou seja, as suas receitas. Se você é assalariado, recebe um contracheque todo mês, certo? Ali estão todas as informações sobre os seus ganhos brutos, descontos, depósito na sua conta da FGTS e o valor líquido que é depositado na sua conta corrente. A partir de agora, você deve, todos os meses, pegar o seu contracheque e registrar estes dados em sua planilha financeira pessoal. No arquivo que mencionei e já compartilhei com vários leitores, há uma aba chamada . Ali está um modelo básico, que pode ser alterado conforme a sua necessidade, acrescentando ou removendo linhas. A regra é registrar tudo em uma ferramenta que esteja sempre com você e que possa servir de guia para você acompanhar todos os seus ganhos. Caso você não seja assalariado e receba pró-labore, distribuição mensal de lucro ou qualquer outra forma de receita, precisará fazer pequenos ajustes na planilha. Posso ajudar nessa customização da planilha caso seja necessário. O que importa é que cada centavo que entre no seu bolso seja registrado, com a devida origem. Mais uma vez quero deixar claro que o uso de uma planilha Excel ajuda muito, mas não é mandatório. Se você não gosta ou não tem o hábito de usar este tipo de ferramenta, pode fazer em um caderno e escrito à mão. O importante é que todo santo mês você saiba detalhadamente quais foram as suas receitas.

O passo dois, e mais desafiante para todos, é saber para onde este dinheiro vai. Muita gente vive se perguntando: “Mas, para onde foi o dinheiro que ganhei? Não sei onde foi parar.”. Peço desculpas pela sinceridade e pela assertividade, mas quem se faz este tipo de pergunta está cometendo um erro gravíssimo e nunca, mas nunca mesmo, irá chegar a lugar nenhum nessa jornada de construção de patrimônio. Se você sofre desse mal, terá que tomar uma decisão radical daqui pra frente, ou desistir imediatamente de fazer planejamento financeiro pessoal. A decisão é: Anotar tudo o que gasta diariamente, classificar estes gastos, registrar tudo em uma planilha de controle e analisar ao final e cada mês o resultado. Na planilha que disponibilizo, na mesma aba chamada há também o quadro de despesas para que tudo seja lançado e acompanhado. Inclusive, lá já existem todas as contas usuais, tais como aluguel, prestação da casa, condomínio, combustível, lazer, celular, luz, gás etc. Está tudo lá. Basta começar a usar.

Talvez você esteja pensando: - Nossa, quanto trabalho. Será que consigo?  A minha resposta é: - Sim, dá trabalho sim. Mas quem faz disso uma rotina na sua vida vai longe. E mais, com o tempo e a prática, fica cada vez mais fácil. Experimente fazer isso por um ano. Garanto e aposto que nunca mais você deixará de fazer. Depois de certo tempo, vira quase um hobbie. Este tipo de controle é básico e sem ele, nada pode ser planejado. No próximo, vamos analisar as diferenças entre o que se ganha e o que se gasta e o que fazer quando a conta não está fechando, para então começarmos a montar a estratégia de construção de poupança e investimentos. Até lá!

por Marcelo Veras
compartilhar