Artigo 117 – As manifestações e a sua carreira

“forrobodó”
por Marcelo Veras | 01 de jul de 2013

 

"O mercado vai mudar. Prepare-se!”

Tenho acompanhado de perto todas as notícias sobre as manifestações que invadem o nosso país. Confesso que estou, assim como muita gente que conheço, um pouco perplexo. Eu realmente já tinha jogado a toalha e acreditava que o Brasil precisaria de mais 500 anos para se transformar em um país decente, mas acho que posso morder a língua antes de morrer. Morderei feliz. Por mim, pela minha filha e por milhões de pessoas que terão um futuro melhor.

Hoje quero dar a minha humilde opinião sobre como acho que esta onda de manifestos e insatisfação popular pode afetar as carreiras e as profissões. Neste exato momento em que escrevo, os nossos políticos, mais por medo de apanharem do que por vontade própria, revogaram aumento de passagens, reprovaram a PEC37 e destinaram 75% da grana do petróleo para a educação. E vem mais por aí. Pode ter certeza. Não me parece que a coisa vai arrefecer. Temas como mobilidade urbana, investimentos em infraestrutura (estradas, portos, ferrovias etc), investimentos em saúde e educação, vão exigir (até que enfim) uma única coisa: Diminuição do tamanho do estado. Este é o tema central de tudo. Hoje não sobra dinheiro por duas razões: O estado é gigante e a corrupção maior ainda. Se este  todo resultar em um país com o estado menor e uma justiça mais ágil e imperdoável com corruptos, a coisa vai ficar linda. E você vai sentir isso na pele bem rapidamente. Pode acreditar.

Bom, quais serão as áreas que vão ganhar e crescer quando isso tudo acontecer? Ou melhor, nem vai precisar tudo acontecer. Só as três mudanças já citadas anteriormente já produzirão seus impactos. Vamos lá, minhas apostas são: Primeiro, as carreiras tradicionais e clássicas vão crescer ainda mais. Medicina, Engenharia, Administração e Direito estão entre as minhas maiores apostas. As razões são óbvias. Faltam médicos no país e já se fala em importar médicos. As obras de infraestrutura precisarão de milhares de engenheiros. Milhões de contratos serão elaborados e haverá muita demanda judicial em outras esferas. E tudo isso precisará ser administrado por profissionais de gestão. Portanto, os advogados terão um mercado crescente. Carreiras clássicas e mal remuneradas sofrerão uma forte melhoria em seus salários e perspectivas de carreira. Pedagogia, na minha visão, será a mais afetada (positivamente) com as mudanças que virão. Aliás, esta é (torço muito) a carreira que mais deve crescer no Brasil. Além disso, cursos técnicos crescerão mais ainda e bons profissionais das áreas de enfermagem, mecânica, edificações, eletrônica, entre outras, só ficarão desempregados se quiserem.

É óbvio que as carreiras emergentes e novas irão também pegar carona nas mudanças, mas acho que as carreiras clássicas serão as mais beneficiadas com um Brasil mais moderno, justo e com um estado menor.

Estas são as minhas apostas. O tempo vai dizer a verdade, mas juro que espero estar certo, porque com certeza as próximas gerações irão agradecer de joelhos o que estamos fazendo neste importante momento histórico do nosso país.

Mas, como a coisa está só começando e ainda há muito o que mudar, seguirei acompanhando e participando ativamente da grande massa que exige mudanças na gestão do nosso suado dinheiro público. Vou pra rua e acho que todos devem ir. Em Paz, de cara limpa e aberta, sem violência e com um recado claro para os nossos políticos: Mudem tudo ou arrancaremos todos vocês do poder nas próximas eleições!  A hora é agora! Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar