Artigo 118 – As provocações de um Head Hunter – Parte I

“informal”
por Marcelo Veras | 08 de jul de 2013

"Ás vezes perguntas simples são muito reveladoras”

Eu conheço alguns Head Hunters. Já mudei duas vezes de empresa através de processos conduzido por este tipo de profissional. Este termo em inglês que significa Caçadores e Cabeças (líderes, talentos), é usado para denominar profissionais altamente qualificados e que são contratados por empresas para procurarem e apresentarem seus futuros Gerentes, Diretores e Presidentes. Daí o termo Hunter (Caçador). Ou seja, são pessoas que têm uma forte rede de relacionamentos e que passam o dia entrevistando e conhecendo novos profissionais para terem uma base de bons talentos para apresentarem aos seus clientes quando demandados, sempre para posições de liderança. O sonho de dez em cada dez profissionais que almejam ocupar posições de liderança em empresas é receber um telefonema de um Head Hunter. Normalmente este tipo de contato envolve um convite para uma entrevista, mesmo que você esteja empregado e feliz. Se ele(a) te achou, vai querer bater um papo   para conhecer melhor suas competências e projetos de carreira. Sr conhecido e estar na base de dados de um Head Hunter é sempre bom para a carreira de um executivo.Como os Head Hunters trabalham para preencher as melhores vagas do mercado, suas práticas e métodos de avalição de candidatos ditam as regras do que há de mais moderno em termos de avaliação de pessoas. Muitos deles escrevem livros, falam em rádios, dão entrevistas etc. Ou seja, são profissionais que sabem exatamente o que as empresas mais desejam e precisam para suas posições de liderança. Eles recebem dos seus clientes um descritivo completo e bem complexo sobre o perfil da pessoa ideal para aquela determinada posição de liderança.Ao longo da minha carreira tive a oportunidade de conhecer e conversar com vários profissionais dessa área. Cheguei até a criar um certo relacionamento com alguns, com quem faço questão de me encontrar pelo menos uma vez ao ano para um almoço. E sempre que tenho esta oportunidade, faço questão de me atualizar sobre como está mercado de altos executivos e, principalmente, para onde está apontado o radar das empresas em termos de demandas de competências e perfis. Sempre ouço falar que as empresas estão com dificuldades de contratar, que existem vagas maravilhosas que não são preenchidas por falta de talentos... Enfim, fico sempre com a dúvida sobre o que é realidade e o que é mito. Mas com certeza, nos últimos 3 anos, tenho realmente caminhado na direção de acreditar que o trabalho dos Head Hunters está cada dia mais difícil. Ouço de todos, absolutamente todos com os quais converso, que está cada dia mais difícil encontrar grandes líderes para seus clientes. E quando pergunto o porquê, a resposta é quase sempre a mesma: - Faltam pessoas com dois atributos fundamentais para os meus clientes e para o momento atual. Segundo eles, as duas perguntas que mais ficam sem respostas ou que as mesmas não convencem são: Na sua visão, o que você tem de diferente dos seus pares? O que você fez nos últimos anos para ampliar a sua fronteira de conhecimento? Segundo os Head Hunters estas duas perguntas matam grande parte dos candidatos que conhecem, pois a resposta para estas questões mostram claramente se um profissional está ou não preparado para assumir um cargo de liderança em uma empresa. São duas perguntas muito inteligentes, provocativas e reveladoras. Por que? O que elas revelam? Qual a importância delas para a definição do perfil de um líder? Pense no assunto durante esta semana e, principalmente, em qual seria a sua resposta para elas. No próximo vou emitir a minha visão sobre ambas. Até lá!

por Marcelo Veras
compartilhar