Artigo 132 – Líderes esquizofrênicos

“alinhar pessoas” rumo a um “norte”
por Marcelo Veras | 14 de out de 2013

"Quando nem você acredita mais no que está falando, aí a coisa tá feia"

Que sou observador atento e que ando vendo mais profissionais querendo jogar a toalha do que dar a vida pela empresa que trabalha, isso todo mundo já sabe. Frequentemente relato casos aqui e uso como exemplo do que não deve ser feito pelos líderes em relação aos seus liderados. Mas o volume de casos anda aumentando tanto, mas tanto, que começo a achar que o apocalipse está mais perto do que imagino. 

Nas últimas semanas conversei com três pessoas, de empresas diferentes e com cargos diferentes, mas que me relataram, quase em tom de desabafo, que vão jogar a toalha em breve em suas empresas. Uma delas chegou ao cúmulo de me falar que prefere passar um tempo desempregada do que ficar onde está, pois pelo menos assim tem certeza que não irá adoecer. Pode? O pior é que pode. Entendeu porque usei o termo apocalipse? 

O que me chamou a atenção e resolvi trazer para este artigo foi que estas três pessoas usaram uma frase absolutamente idêntica para descreverem seus chefes em seus últimos discursos em reuniões. Sem brincadeira, estou falando que usaram absolutamente a mesma frase. Sabe qual? – Nem ele(a) acredita mais no que fala. 

Olha, escrevi uma série inteira aqui sobre liderança. Foram doze artigos, cobrindo da A a Z tudo o que penso e estudei sobre o tema Liderança. Caso queira, posso lhe enviar a série inteira por email. E uma verdade que está mais do que compreendida no mundo atual é que liderar significa que elas acreditem e que dedicarão seu tempo, competências e energia para alcançarem junto com seu líder. Agora me responda: - Como pode um líder achar que seus liderados seguirão uma causa que ele próprio demonstra não acreditar? É uma piada. Uma completa piada. 

Você pode até me questionar se o problema não está na interpretação equivocada dos liderados. Será que o problema não está nos liderados? A minha resposta é não. Uma das coisas mais importantes que aprendi sobre comunicação é que “comunicação não é o que se diz, mas sim o que se entende”. A responsabilidade de garantir uma comunicação efetiva é do emissor, principalmente quando se trata de liderar pessoas. Portanto, se um líder passa a imagem de que nem ele acredita ou tem convicção do que fala, a culpa é dele sim senhor. E o preço a ser pago é bem simples de explicar. Ninguém vai mover uma palha para remar nessa direção. Simples assim. É isso que mais tenho ouvido hoje em dia, e estes três casos que citei refletem muito bem essa miopia que as empresas sofrem hoje e que não conseguem entender que alguns dos seus líderes estão acabando com a empresa, porque estão destruindo a motivação de suas equipes, com discursos fracos, falsos e sem a menor convicção.

Não sou profundo entendedor da mente humana, mas alguém que fala uma coisa que não acredita ou que fala uma coisa e faz outra, está com um pé na esquizofrenia. Remédio tarja preta e psiquiatra apenas amenizam. 

Senhores empresários, suplico pelo amor de Deus e pela continuidade de seus negócios: Peguem todos os seus líderes (mesmo que tenham um único liderado) e revejam tudo, começando pela motivação deles próprios e pela crença deles no negócio, nos valores da empresa e na forma como ela está sendo conduzida. Façam isso antes que seja tarde.

Agora, se o autor dessa peça teatral for o próprio dono da empresa ou o presidente, daí eu desisto. O último que sair apague a luz, por favor. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar