Artigo 147 – Nunca é tarde para mudar

“Inovação na Educação”
por Marcelo Veras | 27 de jan de 2014

 "Agora é tarde para mudar! A desculpa dos fracos"

 Toda vez que discuto com alguém o tema mudança, duas perguntas entram na pauta: Até quando devemos promover mudanças radicais na nossa vida ou na nossa carreira? Será que existe uma idade limite para determinadas mudanças? Você já pensou nisso? Qual é a sua opinião sobre o tema? Como você já deve imaginar, eu tenho a minha. E quero dizê-la, e ao mesmo tempo provocá-lo(a), com um caso atual.

 Nesta semana, o meu grande amigo há 23 anos, Max Franco (43 anos, dois filhos, residente em Fortaleza desde que nasceu e há 25 anos na mesma empresa), promoveu uma mudança na sua vida que fez muita gente morder a língua. Aceitou um convite para um novo e grande desafio – Implementar o seu maior projeto profissional (viagens pedagógicas) em um novo grupo educacional de Campinas e região. Mudou de empresa, de casa, de cidade, de cultura, de ambiente profissional.... de tudo. Vai ficar este ano longe da família, visitando quinzenalmente, até todos virem também para a nova cidade. 

 Há muita gente o chamando de louco e irresponsável. Mas tenho certeza que engrossarão a fila dos que estão fazendo curativo na língua. O seu conhecimento e experiência irão promover uma revolução que ainda não foi vista aqui por estas bandas. Tenho certeza disso. Ele vai fazer um belo projeto nesta nova empresa. Vai ganhar visibilidade e fazer novos contatos. Decidiu fazer também, de cara, uma Pós Graduação em . Ou seja, o cara está realmente decidido a crescer, experimentar novos desafios e construir uma nova história. Louco para alguns, empreendedor para mim.

 Pode ser que dê errado? Claro que pode. Pode ser que ele decida, em algum momento, voltar para a sua cidade e retomar projetos de lá? Claro que pode. Mas eu duvido. As oportunidades que, com certeza, aparecerão por aqui vão fazê-lo se encantar cada vez mais com esta nova vida. O tempo vai mostrar quem está certo. Aliás, acabo de me lembrar de uma frase muita usada pelo meu sócio e amigo Luis Rasquilha, de autoria de um colega dele de Portugal: “Quando desafiamos o futuro, a ignorância do presente se revolta. Mas o tempo acaba por premiar os mais ousados”. 

 Pois é, quem acha que há limite de tempo ou de idade para grandes mudanças na carreira, tem aqui mais um belo exemplo de que a vida nos faz convites o tempo todo. Uns para pequenas festas e outros para grandes bailes. A maioria recusa estes convites, por medo, insegurança ou por acharem que a partir de uma determinada idade não cabem mais mudanças radicais. Uma pena para quem pensa assim.  

 O mundo atual tem muitos problemas, mas uma coisa é inegável e só não enxerga quem não quer: As oportunidades pipocam todo dia ao nosso lado. Basta ficar atento, escolher e embarcar para novas jornadas. O medo é justificável e não pode ser condenado. É claro que dá medo mudar. É claro que, depois de uma certa idade, este medo aumenta. Mas coragem não é ausência de medo. Ter coragem é ter consciência do medo e enfrentá-lo. Quando se tem competências bem desenvolvidas e reconhecidas, o medo se dissipa. Ele desiste e vai procurar pessoas despreparadas. O medo tem dessas coisas. Ele é chato, insiste em nos fazer desistir, nos provoca, mas uma hora desiste. 

 É isso. Pense nisso durante esta semana. Esqueça essa bobagem de que agora é tarde. Mude. Mude o que tiver que mudar. Não se esquive das oportunidades que aparecerem. Faça como o Max. Não tenha medo do novo. Ele pode mudar a sua vida para muito melhor. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar