Artigo 174 – As eleições, as redes sociais e a sua carreira

“É melhor colocar as suas posições políticas nas urnas”
por Marcelo Veras | 04 de ago de 2014

 

 A copa acabou. A ressaca já está passando e as atenções se voltam para as eleições. Um momento muito importante e que vai determinar os rumos do país nos próximos anos. Agora é pesquisa de opinião toda semana e em breve começa a propaganda na TV e no rádio. Especulações de todos os lados e alguns desavisados (ou descuidados) emitindo opiniões e se expondo desnecessariamente. O banco Santander que o diga. Deixou que uma carta fosse enviada a seus clientes indicando que a economia irá piorar se o governo atual for reeleito. Você deve ter visto na mídia a confusão que foi. O presidente mundial do banco teve que se explicar. Os envolvidos foram demitidos.  Agora imagine se o contrário acontecer e o governo atual for mantido no poder. Como você acha que pode dar o troco no banco? Dá até medo de pensar...

 Candidatos postos, planos de governo começando a serem apresentados e, como sempre, os ataques mútuos começaram. E a coisa promete esquentar bastante. Cada um com a sua artilharia pesada e seus dossiês prontos para serem expostos. A briga promete.

 Nas redes sociais, começo a ver o assunto aparecer, ainda que tímido. Notícias começam a ser compartilhadas nas páginas pessoais. Algumas, com comentários a favor deste ou daquele candidato ou endossando notícias de fontes duvidosas. Alguns mais “ousados” querendo pegar carona na popularidade de amigos do facebook para que suas opiniões tenham mais visibilidade. Na semana passada tive que bloquear uma pessoa que ficava publicando quase diariamente na minha página (e de outros professores que têm milhares de “amigos” no facebook) notícias a favor de um candidato. Cortei a amizade, bloqueei e ponto. Como regra de conduta nas redes sociais, não concordo com quem fica postando coisas nas páginas de outros com intenção de dar visibilidade ao tema. Ao descobrir que não poderia mais me usar como mídia, ele ainda me enviou uma mensagem “in box” dizendo que a minha atitude não era democrática e que eu deveria dar visibilidade para as suas opiniões, mesmo que não concordasse. Nem respondi. 

 Outro fato me chamou a atenção na semana passada. Um ex-aluno, de aproximadamente 30 anos de idade, executivo de uma grande empresa e com a carreira em uma das fases mais decisivas. Pois bem, ele compartilhou uma notícia sobre uma acusação feita a um candidato e fez um comentário, endossando a notícia e ainda xingando o dito cujo, usando palavras que me recuso a repetir aqui. Bom, quero deixar claro que não sou contra a liberdade de expressão. Muito pelo contrário, acho que as redes sociais representam hoje um dos melhores espaços de debates e discussões e que esta eleição será fortemente impactada pelo que acontecer na web. Entretanto, não vejo como este tipo de posicionamento político possa ajudar na carreira. Este é o tipo de assunto, assim como religião, orientação sexual, entre outros, que deve ser debatido sim, mas de forma equilibrada e nos fóruns corretos. Compartilhar uma notícia, endossar a mesma sem ter 100% de certeza de que é verídica, e ainda xingar publicamente um candidato, não traz nada, absolutamente nada de bom para a imagem pessoal e profissional de ninguém. 

 Esta é a minha visão. E deixo aqui um conselho aos meus leitores, alunos e ex-alunos – Muito cuidado ao emitir opiniões políticas nas redes sociais, principalmente quando desconhecer o assunto ou não tiver 100% de certeza de que o fato é verídico. Nada de ficar compartilhando acusações, dossiês, xingamentos e coisas do gênero. Defenda suas posições políticas de forma equilibrada, nos fóruns corretos, preferencialmente em debates olho no olho e sem se expor ou correr o risco de expor a sua empresa ou seu departamento. As eleições vão passar. A sua carreira não. E não se esqueça que o melhor lugar para se posicionar e onde tudo será decidido é na urna, no dia da votação. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar