Artigo 187 – Discurso x Ação

“Prometeu? Cumpra!”
por Marcelo Veras | 03 de nov de 2014

 

 As eleições acabaram. Ufa! Não foi fácil ter paz nos últimos dois meses. No final, estava até cansativo pisar e repisar a mesma calçada desse assunto. As páginas das redes sociais ficaram repletas de fatos (reais e, principalmente, inventados) e comentários sobre tudo relacionado ao tema. Mas confesso que vejo um bom legado nessas eleições. Parece-me que o envolvimento da sociedade foi bem maior do que nas anteriores. Embora não exista um termômetro do envolvimento, sinto que as pessoas debateram mais e “brigaram” mais. Se isso produzir uma postura de maior cobrança e acompanhamento da cena política daqui pra frente, terá valido a pena.

 E por falar em cobrança, vamos ao que interessa. Os dois candidatos à presidência, além de se baterem muito, fizeram o que tinham que fazer durante a campanha – apresentaram as suas propostas de ações e projetos caso fossem eleitos. Apenas um levou e, portanto, é sobre este que vou agora colocar o holofote. E tem mais um ponto relevante: Se o candidato da oposição tivesse vencido, teria que esperar até 01 de janeiro para assumir e mereceria um tempo de “paz” para que pudesse tomar pé da situação em cada uma das pastas do governo. É normal. O país é muito grande e quem chega demora um tempo para fazer esta transição. Mas, “porém, entretanto”, quem venceu foi a atual presidente. Logo, não teremos governo de transição, tempo de adaptação e trâmites do gênero. Tudo segue como está. As equipes de gestão são as mesmas, com um ou outro ajuste, os projetos em andamento seguem seu curso, os problemas estão claros e foram amplamente debatidos na eleição e por aí vai. Não fica difícil concluir que a atual presidente não tem absolutamente nenhum motivo para não começar a fazer o que prometeu imediatamente. É lógico que precisa e merece alguns dias de férias, porque imagino o quanto um processo eleitoral deve consumir de energia de uma pessoa, mas nada que alguns dias de férias não resolva. Depois disso, me apresentem algum motivo para esperar até 01 de janeiro. Alguns poderiam dizer que é prudente esperar o novo congresso tomar posse. Discordo. O novo congresso só irá se renovar em aproximadamente 20%, ou seja, 80% dos caras foram reeleitos. Logo, nenhum projeto precisa esperar porque a base já está lá e seguirá lá.

 Sendo assim, quero aqui retomar um pilar da gestão de uma carreira que mais constrói (ou destrói) a imagem de um profissional: a coerência entre o discurso e a prática. Já disse aqui diversas vezes que a falta de coerência entre discurso e prática é uma das mazelas mais democratizadas que já vi na minha vida e carreira. Perdi a conta de quantas pessoas conheci que na hora de falar são verdadeiros leões, mas na hora de agir viram gatinhos recém-nascidos que mal conseguem miar. Pessoas que entre a promessa e a execução parecem ter feito uma cirurgia de lobotomia. Simplesmente esquecem tudo o que disseram que iam fazer e começam a fazer outras coisas (ou nada). Você conhece alguém assim? Aposto que sim. Esta espécie está por aí, nas empresas, nos cargos de liderança e, principalmente, em cargos políticos. Estas pessoas fazem um mal danado a outras pessoas e às empresas. Elas criam expectativas e frustram os outros. Isso é um pecado mortal. Produzir esperança e depois matá-la é um crime. Devia dar cadeia.

 Portanto hoje reforço, mais uma vez, para você e para a presidente da república um ponto óbvio e muito importante: Faça o que fala e fale o que faça!  Prometeu, cumpra. Se não tiver certeza se vai fazer, não prometa. Não crie esperança sem antes ter convicção de que irá trabalhar por ela. As pessoas não merecem e não irão te perdoar por isso. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar