Artigo 210 – Porque os bons vão embora – parte IV

“Onde não se cresce, não vale a pena ficar”
por Marcelo Veras | 20 de abr de 2015

  

 O que você acha que motiva uma pessoa talentosa a permanecer em uma empresa e entregar bons resultados enquanto está lá? Um bom salário? Benefícios? Um bom ambiente? Boas relações com colegas e com os chefes? Boas perspectivas de carreira? 

 Na verdade, tudo isso junto. Esta “equação” tem inúmeras variáveis. Umas, com maior peso para alguns, outras, para outros. Mas a verdade é que todos estes elementos contam. Tudo isso entra no balanço que fazemos todo santo dia quando respondemos a seguinte pergunta: - Vale a pena continuar neste projeto? O saldo determina a decisão. Enquanto a conta está positiva, ficamos. Quando o saldo entra no vermelho, vamos embora. É assim que os melhores profissionais pensam e é assim que decidem. Os bons permanecem quando há uma parceria ganha-ganha. Estes precisam desta relação positiva, instigante. Aliás, todos nós fazemos “contas” todos os dias no que se refere às nossas relações (pessoais e profissionais). A diferença é que alguns, mesmo insatisfeitos, aceitam permanecer em parcerias ruins, por falta de coragem ou de opção. Não é o caso de profissionais talentosos. Estes têm ousadia  e opções no mercado e, portanto, vão embora se a conta não fechar.

 Vamos ao terceiro pilar da atração e engajamento de talentos - Crescimento. Como já disse, tenho a sorte de poder conviver e conversar com inúmeros alunos e ex-alunos que me alimentam com queixas, decisões, receios e angústias. E posso garantir uma coisa: um dos fatores que mais tenho ouvido como responsável pela desmotivação de profissionais talentosos, hoje em dia, materializa-se em uma frase: “Estou mudando de empresa porque parei de crescer”. Esta frase aparentemente diz tudo, mas ao mesmo tempo esconde uma fábula, que poucos conseguem enxergar.

 Qual é, na sua visão, o significado da palavra “crescer” na frase acima? Volte e a leia novamente, com bastante calma, e pense um pouco. Para muitos, talvez a maioria, o termo signifique ser promovido, ter aumento de salário, ampliar responsabilidades e status. Por sinal, uma das grandes críticas que fazem hoje aos talentos dessa nova geração é que eles têm muita pressa. Não sabem esperar. Não têm paciência. Querem tudo para ontem. E por aí vai. Para mim, campeia uma miopia nessa visão sobre o termo crescimento.

 A palavra crescimento pode sim significar tudo aquilo citado anteriormente, mas ela vai além disso. Uma vertente que poucos enxergam é a do crescimento geral, como profissional e como pessoa. Crescer também significa aprender. Isso mesmo: aprender. Se as empresas pudessem telefonar para todos os seus talentos que pediram demissão e foram embora, e pudessem entender a fundo os motivos, ficariam surpresas com o peso deste ingrediente. Crescer significa também conviver com pessoas inteligentes  que gostem de compartilhar experiências e bons conhecimentos. Este “salário” indireto tem um peso subestimado pela maioria das empresas. Só quem tem olho apurado consegue enxergar. Mas esta é, na minha visão, a pura verdade. Profissionais talentosos querem trabalhar em uma empresa que se pareça com uma escola, onde continuamente, através de ferramentas formais e informais, estejam aprimorando e desenvolvendo novas competências e habilidades.

 Você já ouviu alguém dizer que está motivado em uma empresa porque se sente em constante crescimento, pessoal e profissional? Muitas até vezes citando o chefe direto ou alguma liderança na empresa que é uma pessoa inspiradora e que socializa conhecimentos? Talvez isso seja mais comum do que se imagina.

 A receita? Bom, mais uma vez caímos na figura da liderança. Uma liderança que inspire e trabalhe para o crescimento de todos na equipe faz toda a diferença na questão do engajamento. Uma liderança que só quer pressionar e cobrar resultados, e que não se preocupa com o crescimento das pessoas, afasta, principalmente os melhores. Portanto deixo aqui a minha dica: Não economize esforços para fazer a sua equipe crescer. Assim, os melhores ficarão por mais tempo. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar