Artigo 217 – Líderes que não são líderes

Quem não desenvolve a sua equipe, não merece ter uma equipe”
por Marcelo Veras | 08 de jun de 2015

 

 A competência liderança é complexa. Ela se constrói com competências técnicas e comportamentais, ou seja, conhecimentos e atitudes. Quando analisada individualmente, são mais de 10 habilidades que formam um grande líder. Gosto de dividir estas habilidades entre dois grupos, sendo um deles o que chamo de “ticket para entrar no jogo”, ou seja, algumas coisas muito, mas muito básicas, que se não existirem não há conversa. Sabe o bê a bá? Isso mesmo. Em uma conversa de 5 minutos e com duas perguntas, consigo hoje dizer se alguém está pronto ou não para assumir um cargo de liderança. Basta ouvir a opinião sobre alguns desses itens básicos.

 Um belo exemplo deste bê a bá chama-se “desenvolvimento de pessoas”. Você pode até chegar, por meios lícitos ou escusos, a uma posição de liderança. Isso nem é tão difícil. Mas só permanece líder por muito tempo quem entrega sempre e continuamente bons resultados. Para entregar bons resultados, um líder precisa de uma boa equipe. Uma boa equipe se constrói com pessoas competentes, motivadas e em constante desenvolvimento e crescimento. Simples, concorda? Quase matemático. Pois bem, pergunto uma coisa simples: - De quem é a responsabilidade de criar sempre as condições para que as pessoas da sua equipe estejam sempre motivadas, em crescimento e desenvolvimento? De quem?

 Nesta última semana bati um papo longo com um ex-aluno, que me contou uma coisa que ouço com frequência e que me deixa sempre muito triste e revoltado. A frase dele resume tudo. “Professor, estou pensando em pedir demissão e procurar outro emprego. Sinto-me estagnado. Não falo de salário ou cargo, refiro-me ao fato de me sentir emburrecendo. Não aprendo mais nada e não me sinto motivado. Fui falar com meu chefe e ele disse que isso é bobagem. Segundo ele, temos que fazer o nosso trabalho e ponto. E ainda disse que acha que eu já estudei demais e está bom como está”.

 Juro que não quis nem saber o nome dessa criatura. Dá vontade de fazer um boletim de ocorrência na delegacia. Um “chefe” que diz para uma pessoa da sua equipe que não é preciso continuar aprendendo coisas novas ou se desenvolvendo deveria ir para a cadeia. Pelo amor de Deus. Mas, lamentavelmente, isso é mais comum do que se imagina. Por isso sempre digo que vivemos em um apagão de liderança. A média geral é muito ruim e mal preparada. Em casos extremos, algumas empresas conseguem entregar uma equipe para uma pessoa tão despreparada, mas tão despreparada, que consegue levar  a área (ou até a empresa) para o buraco. E isso acontece sempre por um único motivo: os melhores se desmotivam, vão embora e o nível de competência e motivação da equipe vive como um caminhão sem freio ladeira abaixo. Um horror! Se você tem um chefe assim, meus pêsames. Fique esperto e não dê ouvidos a asneiras como a citada anteriormente. 

 Hoje digo todo santo dia para a minha equipe: - Vamos criar condições para que todos que trabalhem com a gente se sintam sempre em crescimento!  Eu mesmo resolvi dar o exemplo e criei um espaço frequente para compartilhar, pessoalmente, meus estudos e ajudar a quem quiser desenvolver novas competências e elaborar o seu plano de carreira. Esse é um dos meus papéis e não posso fugir dele. Tenho plena convicção de que ambientes onde conhecimentos são compartilhados são ambientes mais produtivos, felizes e onde todos se sentem em crescimento. Esse é um dos principais ingredientes da liderança. Se você tiver um único estagiário na sua equipe, pergunte-se todo dia: - O que estou fazendo para desenvolver esta pessoa? Se não estiver fazendo nada, está na hora de repensar o seu futuro profissional e a sua real capacidade de liderar. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar