Artigo 28 – Pontualidade

“Ser pontual: Bobagem ou diferencial competitivo?”
por Marcelo Veras | 05 de abr de 2012

Eu amo o Brasil, mas vamos concordar que o nosso país é bem estranho em algumas coisas. Pontualidade é uma delas. Este não é, definitivamente, o nosso ponto forte. Das obras para a Copa do Mundo às reuniões nas empresas, do médico que agenda “hora marcada” ao evento que começa com os famosos “15 minutos de tolerância”, tudo atrasa. O atraso no Brasil é a regra, não a exceção. Isso é uma pena. Parte do nosso atraso como país vem daí, na minha modesta opinião. Este pacto coletivo pelo atraso gera um descaso generalizado com a excelência. O atraso carrega consigo uma espécie de permissão para a mediocridade. Se algo não consegue sair no prazo, porque tem que ser perfeito no resto? Uma coisa puxa a outra.

Eu fui educado com regras muito duras em relação a ser pontual. Sofri muito no começo, mas hoje faço disso mais um atributo de diferenciação. E uso ao meu favor desde que comecei a minha carreira. Eu sou neurótico com o relógio. Estou sempre 30 minutos adiantado para qualquer compromisso. Sempre trabalho com uma margem absurda de tempo para cumprir prazos combinados. Ouço muita crítica e algumas piadas sobre este meu “defeito”: - Você é muito exagerado com o tempo. Precisa relaxar mais! Nem sei dizer quantas vezes já ouvi isso na vida. Ouço calado, solto aquele sorrisinho sem graça e sigo fazendo o mesmo. Por uma razão muito simples, acredito que a excelência começa com a pontualidade. E vi, como meus próprios olhos, que o simples fato de ser pontual, gerou sempre satisfação e tranquilidade muito grandes em quem me empregou. Ganhei muitos projetos e novos desafios no início da minha carreira por ter esta característica. Os meus concorrentes diretos nem se tocaram disso.

Como mais um atributo extremamente citado e valorizado pelos líderes empresariais que participaram da nossa pesquisa na ESAMC, a pontualidade aparece como um grande diferencial, e não como uma característica de “neuróticos”. E isso é muito fácil de entender.

O tempo hoje é o ditador do século XXI. O recurso mais escasso e mais valioso que empresas e profissionais têm para gerenciar. Tudo hoje esbarra neste limitador. Sair na frente é tão (ou mais) importante do que fazer algo bombástico. O famoso e tão citado “Timing” é um ponto importante que, muitas vezes, define o sucesso de uma empresa perante seus concorrentes. E, na minha visão, o impacto disso em uma carreira também é devastador, no bom sentido. Um profissional que cumpre prazos SEMPRE é um profissional que carrega consigo um atributo entre os mais valorizados no mundo atual e que tanto se fala em marketing de serviços: Confiabilidade. E por que o paralelo com o marketing de serviços? Por uma razão muito simples: Nós somos, em última instância, prestadores de serviço. E como prestador de serviço, todo profissional deve ser pontual em tudo o que faz. Isso gera credibilidade e confiança.

Portanto fica aqui a minha dica. É pegar ou largar. Comece a chegar pontualmente em todos os compromissos, da festa de casamento à reunião semanal da sua equipe, sem nenhuma exceção. Entregue no prazo tudo que ficar sob sua responsabilidade. Se você for líder de equipe, dê o exemplo e cobre de forma dura e direta a pontualidade de todos, em tudo. Peque sempre pelo excesso e nunca pela falta. Se as piadas vierem, que entrem por um ouvido e saiam pelo outro. E que estas pessoas que zombam desta qualidade rara hoje continuem assim. Serão concorrentes fáceis de bater, sem nem notarem que o mundo hoje é do que fazem, no prazo.

por Marcelo Veras
compartilhar