Artigo 325 – A grande lição de Micka

“Vamos jogar esse fora? Eu consigo fazer melhor”
por Marcelo Veras | 24 de jul de 2017
Artigo 325 – A grande lição de Micka

(Micka Jaques)

Se um dia me perguntarem em quais, dos meus 325 artigos escritos, eu estava mais feliz ao escrever, este ficará entre os últimos. Mas se me perguntarem quais eu acho que deixam as dicas mais valiosas para uma carreira, aí este aqui estará entre os cinco mais relevantes.

O Mickael (conhecido como Micka) nos deixou nesta semana. Um jovem de 48 anos que partiu cedo demais depois de um infarto. O Micka era diretor de criação de uma das maiores e mais expressivas agências de propaganda de Campinas – A Solo Propaganda. Na sua equipe, mais de 20 profissionais de criação que cuidavam de clientes importantes nos setores de agronegócio, automotivo, farmacêutico, educação, entre outros. Nosso grupo é cliente da agência desde 2016, pouco mais de um ano. Quando assinamos o contrato e começamos o trabalho, o envolvimento do Micka com o nosso projeto era contagiante. Um profundo estudioso sobre jovens, antenado com as tendências, apaixonado por Educação e perfeccionista, como me confirmou o seu companheiro de 7 anos quando conversamos um pouco no seu velório. “O Micka queria sempre encantar com a sua criação” – disse ele.

Logo no começo do trabalho, quando estávamos na fase final de uma campanha para uma de nossas marcas, houve uma reunião na agência para “batermos o martelo” nas peças e mandar tudo para produção (filme, folhetos, banners, cartazes, peças digitais, etc). Eu já tinha aprovado tudo e já havíamos feito todas as revisões e ajustes. Esta reunião era quase uma formalidade. Mas, ali, na mesa de validação final, peguei uma das peças (um folheto) e fiz uma consideração e um pergunta: “Micka, você não acha que esse texto aqui poderia ficar mais para a direita para dar uma melhor leitura?”. Nisso, o Micka pega a peça na mão, faz um silêncio mortal, franze a testa e navega pelo folheto com um olhar profundo, passando a mão na sua barba enquanto analisava o folheto. Isso por uns 30 segundos. Depois olha para mim e diz: “Marcelo, a impressão dessa peça pode esperar mais uns 5 dias?”. Sem pensar, respondi: “Claro, Micka, mas por quê?”. A resposta: “Eu não estou satisfeito com ela. Acho que consigo fazer algo melhor”.

A minha cara, da minha equipe presente e de todos ali era um misto de espanto e surpresa. Como assim? O cara quer jogar fora algo que ele mesmo criou e que já foi aprovado por nós? Mas foi ele que propôs? Bom, depois de 5 dias chega a nova proposta. Para não exagerar, umas mil vezes mais linda e mais impactante do que a primeira. Quando vimos a nova proposta, todos nos olhamos e, sem ninguém dizer nada, pensamos “Meu Deus, esse cara é muito bom”.

Pois bem, meu caro, essa é a lição mais importante que o Micka me deixou e que compartilho com você. Nós sempre podemos fazer melhor, mesmo que isso implique em jogar no lixo algo que nós mesmos criamos. Nos meus 30 anos de carreira e 11 anos estudando o tema, posso afirmar que essa é a postura dos grandes vencedores, como o Micka foi - a busca constante pela excelência no que faz, seja como profissional, pai, mãe, filho, aluno ou cidadão.

Vá em paz, Micka! E se, de onde estiver, puder ler essas palavras, saiba que o seu legado foi relevante e inspirador. Falarei de você e transmitirei essa linda lição por onde eu for. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar