Artigo 354 – Mulheres no comando

Ah se o mundo fosse comandado por mulheres!

Há um mês, a convite da minha amiga Cristina Menegueti, do Blog Lótus Rosa, escrevi um texto sobre a minha visão em relação à posição da mulher no mundo atual e onde eu achava que a ela poderia fazer a diferença. O texto foi publicado no final de janeiro e resolvi compartilhar aqui. Houve certa repercussão, até porque a minha opinião vai em uma direção que nem todos (principalmente alguns homens) concordam.  De qualquer forma, a minha opinião é clara e segue abaixo.

“A mulher amadurece mais rápido. A mulher é mais inteligente. A mulher é mais sensível, carismática e tem mais empatia. É mais doce, humilde e dedicada. Tem mais paciência, é menos intolerante e mais acolhedora. Quando decide fazer, faz. Quando decide amar, ama. Quando decide cuidar, cuida.

Por que, então, que com tantas qualidades que faltam na maioria dos homens, elas não estão no comando desde sempre? Por uma razão simples: Os homens têm músculos e um órgão fálico. É assim desde que o mundo é mundo. O mais forte dita as regras. Se somos mais fortes, nós podemos caçar e prover alimento. Lutar e defender territórios. Só por isso. Mas, se pararmos para pensar, em um mundo pré-histórico e agrícola, isso até que fazia algum sentido. Às mulheres não restava nada além de cuidar da casa, da prole e se resignar. Mas o mundo mudou, e muito.

Basta olhar ao redor para ver que o homem no comando não deu certo. Hoje, quase 8 bilhões de habitantes do planeta estão subordinados à ditadura masculina. Nós mandamos. Nós decidimos e nós temos o botão da bomba atômica na nossa mesa. Sob o comando majoritário de homens, os recursos naturais foram dizimados, a desigualdade social criou uma “bomba atômica” prestes a explodir, a corrupção dominou governos, a intolerância virou moda e colecionamos duas guerras mundiais. Definitivamente o homem não foi um bom gestor. Já deveria ter passado o bastão há séculos.

É claro que há homens e homens, mulheres e mulheres. Generalizar é um erro. Muitos homens construíram legados incríveis nas artes, na ciência e em outras áreas. De qualquer forma, na minha visão, é inegável que as mulheres são melhores do que nós. Não tenho dúvidas de que a história teria um curso diferente (e melhor) se elas ditassem as regras.

Neste momento histórico que estamos vivendo há uma mudança de era. A nova economia tem outras premissas e outros valores. A tecnologia colocou um telhado de vidro na cabeça de todos nós. Os desafios de sustentabilidade são gigantescos. A busca por propósito virou uma regra de ouro. Ninguém quer mais passar por aqui como coadjuvante. E tudo isso, junto, exige uma nova cultura. Não uma cultura de empresa ou de país, mas uma cultura de mundo. E como sabemos bem, mudança cultural é lenta e árdua. Precisa de liderança forte, convicta e com credibilidade. Quem você acha que está mais preparado para conduzir tais mudanças? Homens ou mulheres?

A minha opinião já está dada. A única saída que temos como humanidade é entregar, de uma vez por todas, o comando para quem sempre deveria ter comandado – as mulheres”. Até o próximo!