Artigo 358 – Velocidade x Direção

“É melhor ir rápido na direção errada ou devagar na correta?”

 

O mundo atual é rápido. As mudanças acontecem velozmente e o tempo inteiro. As novas tecnologias chegam sem pedir licença. Como tudo está a um clique, uma nova geração de “apressados” se criou. Todos têm pressa. Ninguém quer esperar. Se não formos rápidos, perdemos o bonde, certo? Temos que andar, ou melhor, correr, certo? Minha resposta: Sim e não.

Se o assunto for atualização profissional, agilidade na tomada de decisão e execução, sim. Temos que ser rápidos sim, e muito. Quem cochilar, perde uma oportunidade. De emprego, de negócio, de relacionamento e por aí vai. Sim, hoje temos que ser mais rápidos do que há 30 anos. Entretanto, se o assunto for planejamento de carreira, a minha resposta é não. A velocidade aqui pode representar uma tragédia difícil de reparar.

Mas como assim? Vamos lá, deixe-me qualificar a minha visão sobre o tema. Depois você analisa e decide se faz sentido ou não.  Planejar significa – traduzindo num bom português o que está nos dicionários – “pensar e criar um futuro”. Planejar a carreira significa ter o seu futuro profissional claro, seus objetivos claros e caminhar na direção dele, correto? Pois bem, se o primeiro pilar de um planejamento é a visão, ou seja, o estado futuro que quero criar, o que você acha que acontece se você não tiver isso muito claro e com forte convicção? Simples: você vai se mover numa direção errada, concorda? Já ouviu essa frase? “Para quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve”. Ela reflete a pura verdade. Mas, continuando, você concorda que, se você está se movendo na direção errada, não importa a sua velocidade? É claro. Ir rápido ou devagar na direção errada vai dar no mesmo – o lugar errado. Aliás, quanto mais rápido você correr na direção errada, mais longe estará do caminho correto quando se der conta, não é?

Pois, é exatamente isso que vejo todos os dias nas minhas salas de aula, entrevistas e conversas sobre planejamento de carreira. Várias pessoas que, por não terem clareza de para onde querem ir, correm feito loucas na direção errada. O prejuízo desse tipo de postura é enorme, porque o tempo é um recurso muito escasso e não volta mais. Quantas vezes, como meus alunos e ex-alunos sabem, não enfatizei isso em sala de aula. “Antes de sair fazendo coisas, decida o que quer da sua vida e da sua carreira. Não adianta “correr” na direção errada. É melhor “caminhar” na direção certa”.

Pois hoje esta é a minha provocação. Você tem clareza do quer da vida e da carreira? Sabe exatamente onde quer estar e fazendo o que daqui a dois, cinco e dez anos? Se não sabe, invista tempo e energia nessa descoberta. Não se deixe levar pela manada. Não corra sem saber exatamente em direção está. Isso só leva a um estado – a frustração, muitas vezes até combinada com arrependimento. Tenha sempre consciência do estado futuro que quer criar. Se ele mudar um dia, mude o plano. Não há nada de errado em mudar de objetivos. Mas em cada momento, principalmente enquanto você se movimenta, tenha o seu “norte” convicto. Muita velocidade, sem direção, é como viajar e não ter prazer ao chegar no destino. Até o próximo!