Artigo 377 – As lições da copa 2018

“10 recados valiosos para a sua carreira”

 

O evento futebolístico de maior relevância mundial tem que deixar lições valiosas. E a copa 2018 da Rússia deixou muitas. Listei dez, que na minha humilde visão, são as que mais devem ser aproveitadas na carreira:

1 – Sucesso passado não garante sucesso futuro: a lição aqui é dos ex-campeões das últimas três copas e que caíram na primeira fase na copa seguinte. Até escrevi recentemente uma crônica completa sobre isso, deixando o seguinte recado: “Quando atingir um objetivo de carreira, redobre a atenção”;

2 – A sua carreira não existe somente quando você está na empresa: os brasileiros que ficaram “famosos” ao serem flagrados com brincadeiras machistas com uma mulher russa logo no início da copa pagaram bem caro pela brincadeira de péssimo gosto. Alguns até perderam o emprego e aprenderam, a duras penas, que todos nós temos um telhado de vidro sobre nossas cabeças;

3 – Não mudar custa caro: Tite é um excelente treinador e deve ficar, merecidamente, no comando da seleção. Mas pagou caro por insistir em um time que não estava dando resultado no jogo contra a Bélgica. Mudou muito tarde, quando a vaca já estava atolada no brejo;

4 – Atitude independe de cargo: a presidente da Croácia deu um show! Sem pompas, pagando seu próprio ingresso, vestida “normalmente” com a camisa do seu time e cumprimentando vencedores e perdedores, debaixo de chuva, com muita classe e humildade;

5 – No fim do dia, o que importa é o resultado: a Croácia jogou melhor, teve mais posse de bola, atacou mais, acertou mais os passes…. mas a França fez mais gols e levou o título. Efetividade vale mais do que jogar bonito. E a história vai se lembrar do resultado e não do jogo;

6 – Não provoque ninguém sem motivos. Além de deselegante, você pode morder a língua: o Peru fez um vídeo provocativo contra a Dinamarca antes da copa começar e ganhou duas respostas. A primeira foi um vídeo devolvendo a provocação com uma “flor”; e a segunda foi uma vitória no jogo da copa. É…

7 – O mundo é plano e será cada vez mais diverso: o time titular da França possui 7 negros na sua formação, contra apenas 3 na seleção que venceu há 20 anos. Os melhores, por sinal, de origem africana. Mais uma prova de que mundo atual premia a diversidade;

8 – As lentes vão garantir a meritocracia: o VAR (sistema de vídeo arbitragem) usado nesta copa garantiu que os melhores vencessem e os espertinhos dançassem. Dá nojo lembrar da copa em que a Argentina desclassificou a Inglaterra com um gol de mão do Maradona e ainda disse que “foi a mão de Deus”; Um título mundial que vai ficar para sempre manchado com a marca da falta de ética;

9 – Cuide bem da sua imagem: Neymar sai da copa com fama de mentiroso, dissimulado e péssimo ator. E seguirá sendo ridicularizado pelo mundo inteiro por uma imagem que ele mesmo construiu;

10 – Esforço e espírito de equipe são sempre premiados: Modric, da Croácia, foi eleito o melhor da copa. Foi o que mais correu e se esforçou (média de 13 Km por jogo) e, na visão de todos os jogadores do seu time, uma frase resumiu a sua postura: “Jogou para o time e nos empurrou para frente!”

E vamos nós, como sempre, buscando aprender e tirar as boas lições que o esporte nos dá. Até o próximo!