Artigo 395 – Tempo de compartilhar

“Nenhum conhecimento faz sentido se não for compartilhado para impactar a vida de alguém”

 

– Professor, meu nome é Jéssica Matos, sou estudante do 4° período de Administração na Fundação Educacional de Além Paraíba (FEAP). Minha turma apresentará um seminário no próximo dia 03 de dezembro e minha equipe ficou responsável por falar sobre “Competências para o profissional do futuro”. Lemos e estudamos alguns de seus artigos e os mesmos estão salvando o nosso trabalho. Porém, gostaríamos de ter um diferencial em nossa apresentação e colocar umas perguntas respondidas por alguém que seja especialista. O senhor poderia responder a essas perguntas? Estão sendo enviadas em arquivo anexo. Agradeço em nome da equipe, Jéssica Matos.

Abro o anexo e leio as perguntas:

  1. Por que as competências comportamentais estão se tornando mais importantes que as técnicas?
  2. Como as competências comportamentais podem ser desenvolvidas nas pessoas?
  3. Alguma competência é mais importante? Qual? Por que?

– Olá Jéssica, bom dia. Será um prazer ajudar. Posso te responder por áudio? Se sim, por favor me passa um número de celular. Gravo e envio por whatsapp, ok? Qual é o prazo que vocês têm? – respondi por email.

– Olá, bom dia, professor. Muito obrigada por nos ajudar. Número: (32) 98800-XXXX, precisamos entregar o trabalho dia 26/11.

Três dias depois, em menos de cinco minutos, gravei o áudio e enviei por whatsapp. Enviei também por email um material adicional, com a lista das competências comportamentais do meu estudo e outro texto complementar.

Minutos depois…

– Professor, em nome da equipe, agradeço pela boa vontade e disposição para nos ajudar. Precisamos de mais pessoas assim no mundo. Ficamos felizes, Abraço!! 😁

– Foi um prazer, Jéssica. Bom trabalho para vocês! – respondi.

O que mais me surpreendeu nesse diálogo foi a frase “Precisamos de mais pessoas assim no mundo”. Não perguntei porque disse isso, mas creio que ela (e talvez o grupo de trabalho da faculdade) já tenham levado alguma “porta na cara” ao pedir algum tipo de ajuda similar. E, pensando bem, como escrevi na introdução do meu último livro, que coincidentemente chama-se “Tempo de compartilhar”, o mundo seria bem diferente se todos dividissem um pouco do que têm, principalmente o conhecimento. Para que serve um conhecimento se não for compartilhado para impactar a vida de alguém? Na minha visão, para nada. E hoje, infelizmente, ainda há pessoas com uma postura, ao meu ver equivocada, de guardar tudo o que sabem apenas para si. Talvez pensem que compartilhar significa perder poder, quando é exatamente o oposto. Quanto mais dividimos o nosso conhecimento, mais ganhamos a admiração e o respeito de outros.

Confesso que escrevi este texto feliz, porque mais uma vez senti o prazer de poder, através do meu conhecimento, ajudar alguém, mesmo que talvez nunca conheça pessoalmente, a se desenvolver. Vem nessa! Pega o conhecimento que você tem aí nessa cabecinha e sai por aí compartilhando e impactando pessoas! Até o próximo.