Artigo 397 – O mês dos balanços

“Faz bem fazer balanços periódicos”

 

Dezembro é um mês especial. Natal, ano novo, descanso e muitos, muitos balanços. Obviamente para pessoas de religiões que o consideram um mês normal, ele passa em branco. Mas para uma grande parte da população, dezembro é repleto de fortes emoções e reflexões. Um ano que se vai e outro que se aproxima. O que fiz de bom neste ano? O que poderia ter feito e não fiz? O que fiz e, se pudesse voltar o tempo, não teria feito? Qual é o saldo? Cresci? Andei para frente, para trás ou andei de lado? E o próximo, o que me reserva? Vai ser melhor ou pior?

Tais perguntas trazem grandes reflexões. Algumas bem duras e que machucam só de pensar nelas. Outras nos fazem sorrir à toa, sem que a gente perceba. Mas todas, independente de boas ou ruins, nos fazem pensar e crescer. Sem estes momentos da verdade, rumos não são alterados, decisões não são tomadas e, por consequência, status não se mudam. É a partir de balanços, análises e reflexões que tomamos decisões. Isso não vale apenas para a nossa vida. Empresas fazem balanços financeiros, economistas fazem balanços econômicos, ecologistas fazem balanços ambientais, times de futebol fazem balanços da temporada, entre outros. Ou seja, o ato de parar e fazer balanços é universal, saudável e necessário.

Portanto hoje deixo aqui uma lista de pontos que você poderia usar para fazer o seu balanço de 2018. Escolha um dia e horário, desligue o celular, busque um local tranquilo e sem interferência, pegue a lista abaixo e pense em cada grande tema. Se gostar e preferir, pegue um caderno ou dispositivo digital e escreva as principais conclusões. Para cada tema, você pode listar, de forma sintética, duas ou três principais conclusões e decisões:

1 – Vida pessoal

– A sua relação com a família;

– A sua relação com amigos;

– A sua saúde física;

– A sua saúde mental;

– A sua espiritualidade.

2 – Vida financeira

– A gestão dos seus gastos;

– A gestão das suas receitas;

– A gestão do seu patrimônio.

3 – Vida profissional

– O seu autodesenvolvimento profissional;

– A sua relação com pares, superiores, subordinados e parceiros de negócio;

– O seu comprometimento com o trabalho;

– Os seus resultados;

– A sua felicidade no trabalho.

Após refletir sobre estes grandes temas, pense e liste o que deveria fazer para que, no balanço do ano que vem, as coisas boas sejam potencializadas e as ruins reduzidas ou eliminadas. Só a partir daí, comece a pensar em objetivos e metas para o novo ano, porque objetivos sem reflexão prévia tendem e amarelar no papel em que foram escritos. Até o próximo!