Artigo 82 – Carreira: Maratona ou corrida de 200 m?

“detalhes”
por Marcelo Veras | 29 de out de 2012

"Uma carreira de sucesso exige mais regularidade do que arranque” 

Estou incomodado com algumas conversas que tenho tido sobre a gestão de carreira, principalmente com pessoas mais jovens. Tenho feito algumas sessões de coaching com alunos, ex-alunos e colegas de trabalho, e tenho notado uma certa unanimidade em um ponto – a pressa. Todos estão com pressa. Todos reclamam que as coisas estão demorando para acontecerem em suas carreiras. Alguns (bem jovens) chegam a dizer que não aguentam mais esperar por uma oportunidade, promoção etc. Por isso resolvi escrever sobre isso hoje, usando um esporte para tentar facilitar a defesa da minha opinião sobre o tema.

O esporte é o Atletismo. Mais especificamente a corrida. Você deve conhecer e até já ter assistido na TV dois tipos de provas bem famosas. Maratona (42 Km) e corrida de 100 m rasos. Não sei se você já parou para observar alguns importantíssimos nestas duas provas. Se não, vá à internet e procure vídeos ou fotos e comprove. Do que estou falando? Primeiro, vamos analisar o perfil das provas. Na corrida de 100 m rasos, a duração da prova é de pouco menos de 10 segundos. Numa maratona, 2 horas. Na corrida de 100 m, os atletas têm um arranque absurdamente rápido, e seguem aumentando o ritmo até o final dos 100 m, quase sem respirar. Na maratona, todos saem mais lentamente, sem grandes arranques, e procuram manter uma regularidade na passada. Note que eles nem se preocupam muito se estão 1 ou 2 metros atrás na saída. Todos largam de pé, ao contrário dos 100 m, onde todos largam impulsionando uma espécie de apoio que fica na largada, visando sair na frente e mais rápido. Outro detalhe importante é o perfil físico dos atletas. Nos 100 m rasos, todos são fortes e musculosos. Na maratona, todos são magros e sem músculos. Ou seja, em um mesmo esporte, dependendo do tipo de prova, muda tudo. Duração, perfil físico dos atletas, estratégia de prova etc. A distância a ser percorrida é o fator que muda tudo.

Agora pergunto: A nossa carreira está mais para uma prova de 100 m ou para uma maratona? Você tem uma opinião? Eu tenho a minha. Uma carreira dura em média 40 anos. Em alguns casos, muito mais. Somente com base nisso, defendo que a nossa carreira está muito, mas muito mais para uma maratona do que para uma prova de 100 ou 200 m. E isso tem feito com que eu defenda e aconselhe todos que me procuram para discutir o seu futuro e a sua carreira, a pensarem como maratonistas, e não o contrário.

Planejar uma carreira pensando apenas no ano seguinte ou no mês seguinte é um grande erro. Agir de forma precipitada, pulando etapas para crescer mais rápido na carreira, também o é. Sempre disse e volto a dizer: No curto prazo, tudo funciona. No médio e longo prazos, a meritocracia e as nossas competências são as únicas a serem premiadas. Na maratona também acontece isso. Muitos atletas arrancam que nem doidos nos primeiros 5 Km e depois cansam e vão ficando para trás. Falta-lhes preparação. Falta-lhes fôlego. O mesmo acontece na carreira. Já vi muitas pessoas terem um início de carreira meteórico e depois de alguns anos começarem a perder o fôlego e estagnarem. Muitas. Muitas mesmo. Acompanho a carreira de muita gente que já encontrei nas minhas salas de aula e nas empresas em que trabalhei. A pressa pelo crescimento, desassociada de uma forte preparação, leva a um caminho perigoso e com um abismo no final.

Portanto deixo hoje aqui este ponto para a sua reflexão. Não sou contra a ambição e a pressa. Mas acho que temos que entender que precisamos de preparação para suportar os desafios crescentes que a carreira vai nos trazer. Temos que calibrar a visão mais para o médio e longo prazos, pois é lá que vamos colher os grandes frutos. Não adianta arrancar forte e ficar no meio do caminho. Invista pensando no futuro e dê um passo de cada vez. O resultado será melhor. Até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar