Artigo 107 – Carreira e Finanças pessoais – parte VI

“Simulações”
por Marcelo Veras | 22 de abr de 2013

"Visão é um estado futuro. Crie a sua e trabalhe duro para chegar lá”

No segundo artigo desta série (Carreira e Finanças pessoais – parte II) eu apresentei os quatro pilares de um planejamento financeiro eficaz. O Estágio atual, a Visão, a Interpretação e a Ação. Do terceiro ao quinto artigo da série, basicamente discutimos aqui o primeiro pilar, ou seja, como fazer um diagnóstico completo do seu estágio financeiro atual. Qual é o seu patrimônio, suas receitas e seus gastos. A planilha que tenho enviado a vários leitores tem dois módulos para se registrar e acompanhar os indicadores acima. Reforço que o acompanhamento destes indicadores deve ser contínuo, mês a mês, para sempre. Estas informações são fundamentais para a tomada de decisões e para o sucesso do seu planejamento. Incorporar o hábito de acompanhar suas finanças é o primeiro passo rumo ao sucesso do plano.

No último artigo tratamos de uma questão fundamental para que um planejamento futuro seja possível e eficaz - livrar-se das dívidas e adequar o seu padrão de gastos a um patamar inferior ao dos seus ganhos, para que se possa ter saldo para investimentos, é ponto inegociável. Não há geração de riqueza se não houver saldo para investimentos. Se você gasta mais do que ganha e não quer mudar isso urgentemente, pare de ler tudo o que ainda vou escrever aqui porque estará perdendo tempo.

Bom, hoje podemos iniciar a discussão sobre o segundo pilar – a Visão. Visão é um estado futuro, um sonho a ser perseguido. Financeiramente falando, esta visão se resume a um patrimônio futuro, ou seja, um valor acumulado de bens e dinheiro que irão financiar a sua vida durante um período de tempo. Para calcularmos e planejarmos estas metas, precisamos recorrer a um conceito importante de finanças – o valor do dinheiro no tempo. Não há como explicar tudo isso aqui, mas na planilha que tenho disponibilizado aos leitores há um módulo (planilha chamada ) que possui todos estes cálculos programados e com uma explicação em cada célula sobre o que significa cada conta e resultado. Se você não tem prática com Excel e com matemática financeira, precisará de ajuda de alguém que entenda um pouco. Aliás, até recomendo fortemente que você estude um pouco de matemática financeira, conceito de juros, inflação, rendimentos brutos e líquidos acima da inflação, para que possa entender e planejar melhor.

Você verá nesta planilha (ou em qualquer outra) que precisamos definir três idades para o nosso planejamento. A idade de início dos investimentos (para quem já está com saldo para investir, esta data é hoje), a idade de aposentadoria financeira (que definirá o período de acúmulo de patrimônio) e a idade correspondente à expectativa de vida, ou seja, que definirá o período em que o patrimônio acumulado até a aposentadoria financeira será usado para financiar a sua vida se você parar de trabalhar ou que irá garantir um rendimento extra além do que você ainda irá ganhar trabalhando ou com a aposentadoria do governo.

Algumas pessoas acham engraçado termos que estimar a nossa morte (terceira data), mas isso é planejamento também. Afinal, precisamos ter clareza de quanto tempo precisaremos, mesmo que de forma estimada, financiar a nossa vida. Até porque, para que os cálculos financeiros sejam feitos, precisamos de intervalos de tempo. A matemática financeira funciona assim mesmo.

Pense no seu futuro, no padrão de vida que pretende ter, o nível de gastos que pretende ter e quanto isso custaria, em média, por mês. Vá até a planilha e simule datas e valores. Pense em quanto tempo você quer acumular patrimônio e por quanto tempo quer ter segurança financeira após a sua aposentadoria financeira. No próximo artigo vamos discutir um pouco que valores podem ser razoáveis e que permitam a elaboração de um plano viável. Bons estudos e até o próximo!

por Marcelo Veras
compartilhar